Pesquisar neste blog

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Para não dizer que não falei das flores

Recentemente publiquei aqui uma entrevista do Prof. Carlos Arruda, da Fundação Dom Cabral (veja aqui) , nesta entrevista enfatiza-se as nossas inépcias no tema comércio exterior. Para manter o equilíbrio e talvez até ajudar os leitores a entender porque esta moeda, assim como todas também  tem dois lados, trago a seguir os aspectos positivo, e inquestionáveis, sobre nossa economia … (a fonte é o blog “Conversa de corredor” que traz os pontos que vão pautar as edições da Você S/A).

Sobre o Brasil, os principais destaques são:

  • Em todas as regiões do Brasil há cidades em franca expansão. A construção civil está bombando (não há outra palavra). Em todas as capitais do país há um boom de novos empreendimentos. Engenheiros, mestres de obras, carpinteiros e demais profissionais do setor estão com os salários em alta.
  • Outra descoberta é o surgimento de pólos estruturados de tecnologia. Há os tradicionais, em torno do Recife, São Paulo e Porto Alegre. Os que estão retomando o fôlego, como o de Manaus. E há os novos, que estão sendo criados agora, como em Brasília. Em Salvador, há um plano para se tirar do papel um parque tecnológico. Também nesse setor a competição por gente qualificada é intensa. Basta estar disposto a sair das metrópoles do Sul e Sudeste, centros formadores dessa mão de obra qualificada.
  • A diferença salarial entre os estados está caindo, justamente pela disputa de talentos. Hoje em dia, para o mesmo cargo/função, a diferença entre o maior salário e o menor salário dificilmente ultrapassa 30%. Há exceções? Sim, para os profissionais chamados de “moscas brancas”, sujeitos com habilidades muito específicas
  • Há um fenômeno de “costalização”, mais pessoas vindo para as grandes cidades do litoral brasileiro, como Santos e Vitória, atraídos pelos investimentos e empregos gerados pelo Pré Sal.

Talvez isto explique porque mesmo com todos os problemas com o comércio exterior, com a educação (capital humano), câmbio apreciado, ainda assim todos analistas revisaram recentemente as expectativas de crescimento para cima.

Nenhum comentário: