Pesquisar neste blog

quinta-feira, 17 de março de 2011

O antiempreendedor

Achei oportuno trazer o texto a seguir, pois é o “anti-climax” do mundo corporativo e do empreendedorismo. Segue o texto na “íntegra” …

Pessoal, muito se fala sobre os empreendedores corporativos. Aqueles que mesmo não sendo donos dos próprios negócios, atuam de forma empreendedora nas empresas onde trabalham. Corajosos, merecem toda atenção, holofotes e o justo reconhecimento.

Mas hoje falaremos sobre os antiempreendedores corporativos. Lamentavelmente, eles estão presentes em todos os lugares. Da pequena empresa até a mais prestigiosa corporação, a sua trajetória de não realização, embromação e sabotagem deixa um rastro com pistas inquestionáveis da sua presença. Mas nessa hora o pior já aconteceu, ou seja, eles já atuaram.

Mais uma vez, a prevenção é a melhor política. Pensando nisso e conversando com gente competente que tem pavor da categoria, decidimos reunir aqui algumas características comuns da espécie.

Antes é preciso deixar muito claro: antiempreendedores corporativos são diferentes de pessoas que não são empreendedoras. O primeiro é engajado e luta contra o empreendedorismo, o segundo legitimamente não tem perfil pra coisa e escolheu outro caminho.

Vamos lá, o antiempreendedor:

1 – É fanático por modismos de gestão. Como forma de compensar a incapacidade natural, se utiliza disso para criar uma falsa imagem de dinamismo e engajamento empresarial.

2 – Adora frases feitas. Com aversão a qualquer tipo de risco e enfrentamento, opta por equipar o vocabulário com o obvio ululante, como forma de conseguir exposição e visibilidade falando muito e não dizendo nada.

3 – Gosta de performar. Da mesma família da embromação, significa parecer fazer algo, mas sem nada conclusivo ou concreto. Trata-se apenas de um jogo de cena.

4 – É bajulador. Inseguro por natureza, e consciente de que o seu disfarce mais cedo ou mais tarde será revelado, adora agradar. Ninguém escapa. Chefes, chefes dos chefes, secretárias dos chefes, colegas, amigos e inimigos. Ele estará sempre lá, elogiando qualquer coisa e dizendo o que se deseja escutar.

5 – É incapaz de demonstrar descontentamento. Questionado sobre como vão as coisas, responde recorrendo imediatamente ao seu arsenal de auto-ajuda corporativa. Algo como “Está tudo ótimo, a cada dia melhor!“, ou, “Desafios foram feitos para serem vencidos!“.

6 – Se espanta com posturas francas e verdadeiras. Acostumado a atuar ao invés de trabalhar, não consegue entender os colegas que não agem como se estivessem num palco.

7 – Idolatra superiores, gurus e ícones empresariais. Como não consegue ter uma postura crítica e construtiva sobre o mundo empresarial ao seu redor, perde a capacidade de encarar essas pessoas como seres humanos falíveis.

8 – Odeia os realizadores e obstinados. Estes são os seus maiores inimigos, a origem de toda a pressão do dia-a-dia.

Mas não se preocupe, ao desconfiar de alguém nas suas baias, mostre este texto e observe a sua reação. Se o sorriso for assim… meio amarelo, parabéns! Você o identificou.

Fonte : Plataforma Brasil 

Nenhum comentário: