Pesquisar neste blog

sábado, 30 de julho de 2011

Temperança : Girassóis e Miosótis

A homenagem feita por um grupo de amigas, a uma amiga que será mãe em breve (não cito os nomes porque não tenho autorização…Alegre), trouxe ao meu conhecimento o texto abaixo…

Foi a deixa para eu cumprir o meu compromisso com a ‘Temperança’ (assumido no post As virtudes cardinais – Temperança)…

Abaixo o texto, que segundo minhas pesquisas é de autoria do Pe. Zezinho, espero que gostem… Todo mundo começa filho, e termina mais do que pai e mãe, todo mundo é girassol, todo mundo foi miosótis, tudo mundo foi girassol, todo mundo é miosótis…

Os Girassóis e os Miosótis

O girassol é flor raçuda,que enfrenta até a mais violenta intempérie
e acaba sobrevivendo.
Ela quer luz e espaço e em busca desses objetivos, seu corpo se contorse o dia inteiro.
O girassol aprendeu a viver com o sol e por isso é forte.
Já o miosótis é plantinha linda, mas que exige muito mais cuidado. Gosta mais de estufa.

O girassol se vira... e como se vira!
O miosótis quando se vira, vira errado. Precisa de atenção redobrada.

Há filhos girassóis e filhos miosótis.

Os primeiros resistem a qualquer crise: descobrem um jeito de viver bem, sem ajuda.
As mães chegam a reclamar da independência desses meninos e meninas, tal a sua capacidade de enfrentar problemas e sair-se bem.
Por outro lado, há filhos e filhas miosótis, que sempre precisam de atenção.
Todo cuidado é pouco diante deles.
Reagem desmesuradamente, melindram-se, são mais egoístas que os demais, ou às vezes, mais generosos e ao mesmo tempo tímidos, caladões, encurralados.
Eles estão sempre precisando de cuidados.
O papel dos Pais é o mesmo do jardineiro que sabe das necessidades de cada flor, incentiva ou poda na hora certa.
De qualquer modo fique atento.
Não abandone demais os seus girassóis porque eles também precisam de carinho... e não proteja demais os seus miosótis.
As rédeas permanecem com vocês... mas também a tesoura e o regador.
Não negue, mas não dêem tudo que querem: a falta e o excesso de cuidados matam a planta...]

Autor : Pe. Zezinho

Nenhum comentário: