Pesquisar neste blog

domingo, 4 de setembro de 2011

Quem planta… colhe.

Já falei disto em uns posts antigos, quando mencionei a tolerância a certas transgressões que nos faz, em uma medida muito grande, um povo produtor de ‘corruptos’. Antes que me venham com uma lista de nomes honestos, já adianto, são a exceção que confima a regra.., O Dimentein, em seu blog trouxe o tema a tona, depois da absolvição recente da deputada (veja aqui – 265 a 166).

Vamos criar o Dia Nacional da Honestidade?

Por : Gilberto Dimenstein

Um senador propôs --e foi levado a sério-- o Dia Nacional da Corrupção, depois da absolvição da deputada Jaqueline Roriz. É uma proposta tão séria como propor o Dia Nacional da Honestidade.

Vou aqui fazer um papel incômodo. Parte do problema da corrupção não é dos políticos. Mas é nossa --se não partimos desse pressuposto, a bandalheira não vai sair do lugar.

Somos nós que elegemos os políticos sem estudar sua biografia. Somos nós que elegemos as pessoas , não acompanhamos o que fazem e nem nos manifestamos diante dos erros. Somos nós que, rapidamente, passada a eleição, esquecemos em quem votamos (e, para isso, basta ver as pesquisas do Datafolha sobre a lembrança do eleitor).

Somos nós que damos muito mais atenção às celebridades, com suas futilidades, do que a causas públicas.

Somos nós que, no cotidiano, somos tolerantes com as pequenas infrações como parar na faixa do motorista, dirigir alcoolizado, jogar lixo na rua. Ou ver alguém jogando lixo e não fazer nada. Somos nós que tratamos a coisa pública como se fosse de alguém desconhecido. Somos nós que não queremos fazer a diferença no que está do lado, esperando quem alguém faça por nós.

Somos nós que não colocamos a educação em primeiro lugar na agenda brasileira.

Por que os políticos seriam tão melhores do que nós?

Nenhum comentário: