Pesquisar neste blog

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

O tropeço de Dilma na ilha dos Caras…

E foi na própria língua… Dilma foi tentar explicar, ou justificar porque não condenava a violação aos direitos humanos, fartamente presente em Cuba, e o fez, justificando que como todos tem "telhado de vidro”, ninguém poderia criticar os cubanos. 

Primeiro ela deu o visto a blogueira Yoani Sánchez que é impedida de deixar a ilha pelo telhado de vidro cubano (veja aqui), depois afagou a ditadura Castro, e para tal criticou até os EUA. Justificar as barbaridades cubanas, colocando todas as nações num mesmo patamar de Cuba, é no mínimo muita infelicidade.

Foi sim, um tropeço, um tropeço na própria língua… Que prova no mínimo o quanto é difícil ser coerente no mundo da diplomacia internacional. Lula disse que os dissidentes eram presidiários, como outros quaisquer, e Dilma agora, parece que quer fazê-los ser terroristas, como outros quaisquer.

Segundo Rubens Figueiredo, na Veja, “Ela entrou em euforia psicológica por idolatria a Cuba e não calculou o impacto do que estava falando”.

Vale registrar que como de costume, existem alas da imprensa que elogiaram a fala da Presidenta, demonstrando que apesar de tudo, temos liberdade de opinião e expressão, além claro de um bom direito de ir e vir, apesar do nosso telhado de vidro. E comparar este nosso estágio ao de Cuba, é no mínimo nos nivelar por baixo.

E por último, mas não menos importante, Yoani Sánchez, a blogueira, que tinha uma expectativa muito alta com a possível “ajuda” da Presidenta, deu declarações manifestando sua profunda decepção com a fala da Presidenta. Cada vez mais Yoani descobre que caso consiga um dia sair da ilha, será por suas únicas e exclusivas forças, porque os telhados de vidro pelo mundo afora impedirão-a de ter qualquer apoio. (Veja aqui)

Nenhum comentário: