Pesquisar neste blog

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Um engov antes e um depois…

A pequena ressaca Olímpica causada ao final dos jogos de londres, fato que se repete ao final de todos os jogos, é um prenúncio para Rio 2016. Nós ganhamos como país de 4o mundo, cobramos como se fôssemos país de primeiro mundo, e sonhamos como se fôssemos donos do mundo. Há um enorme abismo entre o que fazemos e somos, e o que pensamos que somos e este abismo precisa ser fechado para melhorarmos nossa performance nos jogos.

Praticamente todas as medalhas que havíamos planejado ganhar não vieram, é como se não conhecêssemos nossos atletas e nossa cultura, ganhamos 17 medalhas, todas supresas.

Segundo os cálculos cada medalha custos quase R$ 125 milhões, e pasmem este número escalafobético é exatamente o que estava planejado custar, ou será que alguém achou que ganharíamos 100 medalhas ? São 17 surpresas para um total de investimentos de R$ 2,1 Bi.

Lei de Incentivo ao Esporte - R$ 433 mi

Ministério do Esporte - R$ 644 mi

Patrocínio de estatais - R$ 520 mi

Lei Agnelo Piva - R$ 550 mi

TOTAL - R$ 2,1 bilhões

E tem mais, desta conta só escapa o criticadíssimo futebol, que é a única modalidade que vai aos jogos sem apoio do dinheiro público.

Se na Copa brigamos tanto por conta dos escândalos dos estádios, são três estádios gastos a cada 4 anos com jogos olímpicos. E não pensem que sou contra investimentos no esporte não, sou contra achar que é desta maneira que se investe é desta forma que se planeja. Sejamos mais simplistas nos investimentos, mais honestos na gestão e realistas nos planejamentos e veremos um boom de medalhas, ganhas por talentos natos, bem treinados, simples assim. Basta pensar que um Phelps e um Bolt representariam performance superior a toda nossa história nos jogos, claro que não é simples, mas parece não ser exatamente algo de outro planeta …

E que venha Rio 2016 !!! Recomenda-se um Engov antes e um depois…

Um comentário:

MY disse...

Para quem assistiu o programa "Bem Amigos" do Sportv ontém, deve ter se surpreendido com o depoimento do ex-velocista André Domingos, para quem não se recorda medalhista de prata no revezamento 4(x)100 na Olimpíada de Sidney. Ele disse o seguinte: a Jamaica é um país menor que o Brasil, não menosprezando mas, mais pobre etc. Porém, lá o atletismo é levado a sério, existem campeonatos escolares onde a população lota os estádios, pagando ingresso (olha isso) e com a renda + patrocínio + ajuda escolar (sim a formação dos atletas dependem do rendimento escolar) surgem esses atletas de ponta da Jamaica. E pela 1ª vez o atletismo volta para casa sem nenhuma medalha olípica, feito esse não visto em Olimpíadas anteriores. Mas o Brasil tem um péssimo hábito, de repende surge um "fenômeno", por exemplo simbólico o Joãozinho ganha ouro no salto em distância. A imprensa ovaciona o cara, e começam várias propagandas do Joãozinho. Os jornais destacam, da infância pobre em Juazeiro ao estrelato nas pistas do mundo. Daí o Joãozinho não treina mais porque é o medalhista de ouro e na próxima Olimpíada cai, o vento é contrário etc. Exemplo é o Phelps nadou quase todas as modalidades e trouxe seus ouros, o Cesar Cielo nadou 2 modalidades e se diz desgastado!!! Enfim, o Brasil precisa acordar para o Esporte como forma de vitrine mundial. Outro dia disseram que "somos uma potencia no esporte". Podemos acreditar nisso??? Gente não se iludam, somos um país que conta com o talento individual e a pura sorte para ganhar alguma coisa, diferente dos EUA, da China da própria Cuba que tem no esporte a locomotiva para vencer sempre!!! E para encerrar, vai que em 2016 o Brasil faça bonito, será o suficiente para algum político usar isso como trampolim para tentar uma super eleição, dizendo: eu sempre acreditei no potencial desse país e bla bla bla... mais ação e menos emoção é preciso acordar para vermos que ainda somos muito fracos no esporte, temos talentos mas somos imaturos, pensem nisso!!!